contato@dralauraohana.com.br    |   

Criança "tem" que aprender

A gente cresceu com o discurso de que "criança tem que aprender!". Tem que a aprender a respeitar, tem que aprender a não chorar, tem que a aprender a obedecer, tem que aprender a se comportar...
Ai... é tanto "tem que" que cansa viu?

Cansa porque quando nós mães e pais ouvimos isso, entendemos que nós, como tutores da criança "temos que" ensinar a qualquer custo. Enfiar goela abaixo da criança esses "aprendizados". Temos que ser "eficazes" e no primeiro olhar a criança já "tem que" entender o que pode e o que não pode.

E assim, damos aos nossos pequenos um tempo de vida pra eles serem bebês e logo depois, eles "tem que" se tormar mini adultos, que já entendem perfeitamente como as coisas funcionam no mundo.

A nossa sociedade, as pessoas a nossa volta e, muitas vezes nós mesmos, nao aceitamos a criança como ela é: criança mesmo (e ela tem muitos anos ainda pra ser criança. No tempo dela, não no seu).

Assim, nessa pressa do "tenho que" ensinar, "tenho que" mostrar pras pessoas que meu filho sabe como se comportar, que surgem as situações de violência.

"Ah, Laura! Mas eu nao bato no meu filho." É possível que não. E eu espero que de fato você não bata (violência contra criança é crime). Mas não é essa a única forma de violência que pais praticam com o objetivo de ensinar logo aos seus filhos como devem se comportar.

Chantagens ("só vai ver TV se almoçar tudo", "se não chorar te dou uma bala"...), imposições ("eu não quero saber, mandei fazer agora"), rótulos ("você sempre foi chato pra isso", "medroso", "desastrado", "comilão", "ele não é bom em Matemática"...) e muitas outras... tudo isso é violência.

Eu não estou julgando você por fazer isso. Eu também já fiz.
Eu só quero te dizer, que se nós ainda fazemos isso, muito provavelmente estamos repetindo um padrão do que recebemos na infância.
Você foi tratado asssim e agora você repete, porque é o que você sabe fazer.

Mas nossos filhos estão aqui, vivendo os seus primeiros momentos de vida. E eles sim tem pressa.

Eles tem pressa de terem pais mais tranquilos, de terem pais que sabem dialogar. De terem pais que entendem que eles ainda estão no caminho do aprendizado e que esse caminho é longo. Eles vão repetir inúmeras vezes (como nós também fazemos na nossa vida) até, através do nosso exemplo, e da evolução biológica deles, amadurecerem e mudarem o comportamento.

Calma, mãe e pai... Não tenha pressa. Você só tem um compromisso com seu filho: amá-lo e respeitá-lo.

Amar eu sei que você ama. A minha pergunta é: você tem respeitado o seu filho? Você tem tratado seu filho com todo respeito que teria com o adulto? Você tem tratado seu filho como gostaria de ser tratado por pessoas que você ama?

Mãe e pai. Também estou no caminho, como vocês. Eu sei que não e fácil pra ninguém e a a gente vai errar. Mas vamos parar de perder tempo com os tantos "tem que"s que nos colocam. É mais simples do que parece. O caminho é um só. O caminho do coração - amor + respeito. E isso é o que eles precisam pra que eles mesmos trilhem o próprio caminho. Repetindo, mais tarde, por aí, todo o respeito e amor que receberam.

Vamos juntos?!

Laura Ohana - Doctoralia.com.br