contato@dralauraohana.com.br    |   

A humanidade passou por isso

Mãe, hoje eu quero falar com você que está aí com um bebezinho pequeno nos braços... ou mesmo você que ainda o tem na barriga.

Eu sei, está sendo difícil... emocionalmente intenso e fisicamente doloroso.

Parece que nada na sua vida foi tão desafiador quanto este momento em que você tem um ser humano que acabou de nascer, completamente dependente de você... e você aí, ainda tão fragilizadada, tendo que dar conta da imensidão da tarefa que é cuidar de um outro ser humano.

Nada é tão transformador quanto o que você está vivendo agora.

Mas quando estiver no auge do seu turbilhão emocional, no limite da sua exaustão, eu gostaria que você lembrasse que a humanidade passou por isso.

Sim, todos os seres humanos que você conhece ou já viveram nessa terra, um dia nasceram. E em todos os casos houve uma mulher que deu a luz, e na grande maioria das vezes, esteve lá lutando pra que aquele pequeno ser humano sobrevivesse a esse início tão vulnerável da vida.

E quando estiver muito difícil, se conecta às nossas ancestrais e se lembra que tudo que elas viveram, quase sempre, foi em condições mais difíceis que as que a gente enfrenta agora.

Sabe... quando eu passei pela primeira vez, pelo meu processo de maternidade, no auge da minha exaustão e desespero, eu pensava em todas as mulheres que me antecederam...

Eu pensava nas mulheres indígenas parindo em meio a floresta e criando seu filho unicamente com os recursos que a natureza dá (parece poético criar filhos só com os recursos da natureza, mas a gente há de convir que não deve ser nada fácil).

Eu pensava muito nas mulheres negras escravizadas, criando seus filhos - quando podiam criá-los - nos ambientes hostis e cruéis das senzalas. Dormindo no chão de terra batida e tendo um feitor à porta.

Eu pensava na minha avó materna criando 5 filhas em um mundo ainda mais machista, onde homens não participavam dos cuidados com o bebê, e o jantar tinha que estar à mesa quando ele chegasse.

Eu pensava na minha avó paterna, criando 13 filhos (2 desses morreram de doenças que hoje são facilmente evitáveis) em uma casa de pau-a-pique em um arraial distante e sem recursos do interior de Minas Gerais.

E pensando em todas elas... e honrando sua força e coragem, eu pude perceber que dentro de mim, herdada de todas essas mulheres que nos antecederam na humanidade, existia uma força que me faria passar por aquele momento e dar conta dele.

Acredite: você vai conseguir.

Se hoje estamos aqui é porque mulheres, fortes como nós, passaram por cima de todas as dificuldades e mantiveram a vida de todos os nossos antepassados.
Irmã, coloca aqui a sua mão na minha, porque estamos juntas nessa. Essa força nos une.

E se você me permite, dividir com todas nós esse momento, me conta aqui como foi ou está sendo pra você.

Um forte abraço.

Laura Ohana - Doctoralia.com.br